O último boletim do Ministério da Saúde mostra redução de 90,3% dos casos de dengue; 95,3% de zika e 68,1% de chikungunya, de janeiro a maio, na comparação com o mesmo intervalo do ano passado. Entre os motivos apontados para a redução do número de casos no País, estão a mobilização nacional contra as doenças, a escassez de chuva em determinadas regiões do país.

A única exceção foi Roraima, onde os casos prováveis de dengue cresceram 551% no mesmo período. Foram notificados em Roraima 599 casos, antes 92 em 2016.

Nos casos de chikungunya, Roraima tem o segundo maior número de incidência da doença. A cada 100 mil habitantes são registradas 146 suspeitas, ficando atrás apenas do estado do Ceará, onde são registradas 462,7 suspeitos.

Com relação a zika, o estado ocupa a mesma posição no ranking de incidência. São 27,8 casos para cada 100 pessoas. Tocantins registra o maior número de casos de zika: 61,9 para cada 100 mil habitantes.

O município de Boa Vista, em Roraima, é o que registara maior número de casos das doenças, sendo 1.863 casos de suspeita de dengue, 2.308 de chikungunya e 324 de zika. Segundo a prefeitura. as principais causas do aumento de infestação do mosquito foram às chuvas antecipadas e o acumulo de criadores domésticos.

Fontes: Site do Ministério da Saúde e Portal G1 .